Buscar
  • Manuela Prudente

Viajar para se conhecer.

Comecei a minha jornada de autoestudo (sua fase mais intensa) viajando pelo Brasil na tentativa de construir uma relação mais amorosa com a minha família, pois sempre tive um jeito mais frio e individualista (miss sincera) de ser. Não tenho palavras para descrever como foi FUNDAMENTAL.


Fiquei um mês na casa da minha madrinha em Salvador, na Bahia, quinze dias com a minha avó materna em Belo Horizonte, Minas Gerais, uma semana em Florianópolis, Santa Catarina com a minha tia-avó materna e um mês no Rio de Janeiro, RJ com o meu pai (ufa). Viajei muito, seguindo também o conceito de “é preciso sair da ilha para ver a ilha”, do José Saramago. Porém, durante a vivência, fui percebendo que, aos poucos, comecei a sentir a necessidade de viajar mais dentro de mim. Ou seja, transferi o olhar externo para o interno, mais especificamente para as minhas emoções.


“Quem consegue superar os maiores desafios desta vida, antes superou os maiores medos e fraquezas no mundo interior. Primeiro vencemos dentro e depois vencemos fora.” – Edu Lyra, fundador e CEO da “Gerando Falcões”.

5 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Libertação

Libertar-se ou desapegar-se daquilo que você compreende como verdade absoluta é talvez o processo mais bonito que existe em uma jornada de autoconhecimento. Se libertar é cultivar o apreço por tudo qu

Reflexão sobre dinheiro

Para desenvolver um mindset de quem sabe fazer dinheiro respeitando seus valores pessoais é preciso não colocá-lo como fio condutor da sua vida. Em vez disso, descubra o que realmente é importante par

Exagero

No meu processo de #autoestudo, descobri que os meus "pontos fortes" não devem ser usados à exaustão. Senão, ocorre justamente isso: exaustão ou #burnout. #Perseverança é um ponto bem forte meu, mas p

© 2023 por Jéssica Couto. Criado orgulhosamente com Wix.com